O ensino – aprendizagem é um processo entendido como construção de conhecimentos, competências e habilidades em interação com a realidade e com os demais indivíduos, no qual são colocadas em uso capacidades pessoais.

Nesse sentido com a proposta curricular por competência, a sala de aula deixa de se constituir em ponto único de convergência do ensino, transformando-se em ponto de partida do processo de ensino-aprendizagem com a introdução da ação didática através do uso de Módulos Convergentes, constituídos pelos conteúdos afins de uma mesma área do conhecimento e o uso de metodologias ativas, com prioridade para o método TBL, em substituição ao regime por disciplina. Tal processo estimula a autonomia intelectual e busca a efetiva participação do aluno no processo de ensino-aprendizagem, torna-se condição necessária para o desenvolvimento das competências e habilidades essenciais ao desempenho profissional.

A ação didática com a abordagem das metodologias ativas reconhece a importância da participação efetiva do aluno e, também, da intervenção dinâmica e objetiva do professor no processo ensino-aprendizagem de conteúdos afins, que favorecem o desenvolvimento necessário a boa formação profissional do indivíduo, neste contexto os professores transformam-se em orientadores, em facilitadores; o papel do professor passa a ser criar condições para a formação de competências humanas, políticas, instrumentalizadas tecnicamente. No seu fazer pedagógico o professor deve estar mais preocupado em formar competências, habilidades e disposições de conduta do que com a quantidade de informações

Ressalta-se também a importância da relação professor-aluno, orientada no sentido de propiciar ao aluno o desenvolvimento de competências e habilidades para intervir no contexto em que vive. Isto exige diálogo constante e debate efetivo, respeitadas as peculiaridades intelectuais e culturais de professores e alunos.

A FASAR implantou o Novo Modelo Pedagógico no propósito de melhor atender o processo de ensino-aprendizagem em relação ao atual contexto dos estudantes, do mercado de trabalho e da formação do perfil do egresso. Registra-se que o Novo Modelo Pedagógico é resultado de muitos estudos, pesquisas, reuniões, debates, discussões, encontros pedagógicos (Café com Educadores) cursos de qualificação do corpo docente com participação do corpo diretivo e assessoria acadêmica, pois a meta era embasar-se na proposta curricular por competência, na integração dos conteúdos por área de conhecimento, ministrados em módulos convergentes e metodologias ativas.

Dessa forma em acordo com as teorias de Edgar Morrim, busca-se romper com uma formação que ocorre apenas na tradicional sala de aula, quebrando paradigmas, até então existentes, que privilegiam a fragmentação do ensino e distancia a formação do egresso da realidade profissional e do mercado de trabalho. Nessa perspectiva, a FASAR busca a reconstrução do novo, alia teoria à pratica no contato com a realidade do exercício da profissão e fomenta o desenvolvimento das competências individuais, através das habilidades próprias de cada aluno.

O Novo Modelo Pedagógico prima pela formação imbuída na Ética, nos princípios e valores dos direitos humanos, na preservação da legalidade e da natureza, reportando os 4 (quatro) pilares da educação propostos pela UNESCO, essencialmente o pilar – Aprender conviver juntos. Nesse propósito pretende-se reduzir a agressividade humana e mostrar um outro lado da vida, qual seja viver mais em harmonia consigo mesmo, com o outro e SER MAIS FELIZ.

Como forma de evidenciar e de acompanhar a aplicação das metodologias ativas foi institucionalizado o compêndio das metodologias ativas que objetiva ser um instrumento em consonância com o plano de desenvolvimento institucional PDI (2018 -2022) e tem como objetivo principal apresentar algumas das evidências do novo modelo pedagógico da FASAR. Refere-se às atividades aplicadas nos cursos de graduação da FASAR e está alinhado com o desenvolvimento das habilidades e competências previstas nas diretrizes curriculares dos cursos (DCNs) e, cuidadosamente, alinhado com o Projeto pedagógico dos Cursos (PPC) bem como com os Planos de Ensino Aprendizagem (PEA). As atividades propostas são pensadas de acordo com a realidade do mercado de trabalho e no perfil do egresso. Baseia-se na proposta Curricular por competência, na integração dos conteúdos por área de Conhecimento, ministrados em módulos Convergentes, tendo como recurso metodológico principal a aplicação e a acessibilidade às metodologias ativas de ensino aprendizagem. Neste contexto o aluno é considerado no centro do processo de ensino aprendizagem e o papel do professor como o mediador, o orientador do autoaprendizado do aluno. As principais metodologias adotadas são: Aprendizagem por times (TBL -Team Based Learning) Aprendizagem Baseada em problemas (PBL – Problem Based Learning) ; ) Aprendizagem Baseada em Projetos (ABP- Project Based Learning); Aprendizagem entre pares (PI – Peer Instruction); Sala de aula invertida – SAI (Flipped Classroom); Portfólio e Gameficação. Ficando a cargo do professor a escolha daquela que melhor se adequar ao contexto da unidade curricular. Todas as informações conditas nesse compêndio foram enviadas pelos professores da Faculdade Santa Rita (FASAR) e compiladas pela supervisão pedagógica.