GERMINAÇÃO DE PLANTAS DE COBERTURA EM RESPOSTA À ESCARIFICAÇÃO COM ÁCIDO SULFÚRICO E DIFERENTES CONCENTRAÇÕES DE ÁCIDOS HÚMICOS

  • Amanda Cristina Gonçalves de Oliveira Universidade Federal de Viçosa - Campus Florestal
Palavras-chave: Matéria Orgânica; Compostagem; Substâncias Húmicas.

Resumo

O manejo do solo é a forma como o ser humano utiliza este recurso, e quando feito de maneira inadequada, pode causar sua degradação em curto prazo e promover a desertificação de grandes áreas. A cobertura vegetal protege o solo, tanto pela interceptação da chuva pelas copas das árvores, como pelas raízes, que favorecem a infiltração da água da chuva, reduzindo o escoamento superficial e diminuindo a incidência da erosão. O objetivo do presente trabalho foi avaliar a germinação de plantas de cobertura após tratamento com ácido sulfúrico para escarificação química, seguido da aplicação de diferentes concentrações de ácidos húmicos (10, 20, 40 e 80 mmolL-1), extraídos de esterco bovino e de cama de aviário, visando determinar a concentração mais eficaz para semeadura no campo e estabelecer tecnologias para acelerar o seu desenvolvimento. Foram dispostas 20 sementes da Crotalaria juncea L. em cada caixa gerbox com papel germiteste, e 20 sementes de Leucaena leucocephala Lam. nas mesmas condições, totalizando dez tratamentos com três repetições cada. Os resultados comprovaram a alta capacidade germinativa de C. juncea, entretanto mostraram que a escarificação química prejudicou a porcentagem germinativa em comparação com os tratamentos que não sofreram tal processo. O tratamento sem escarificação química e contendo ácidos húmicos a uma concentração de 20 mmolL-1 de C foi o mais eficaz. Já para a L. leucocephala, o efeito do tratamento com ácido húmico não foi significativo e o pré-tratamento das sementes com ácido sulfúrico melhorou cerca de dez vezes a porcentagem de germinação.

Publicado
2021-05-11